Primavera, Verão, Outono, Inverno e… Primavera

Um Filme sobre Tragédia e Espiritualidade

Ninguém é indiferente ao poder das quatro estações e de seu ciclo de nascimento, crescimento, amadurecimento e declínio. Nem mesmo os dois monges que compartilham a solidão, em um lago rodeado por montanhas. Assim como as estações, cada aspecto de suas vidas é introduzido com uma intensidade que conduz ambos a uma grande espiritualidade e à tragédia. Eles também estão impossibilitados de escapar da roda da vida, dos desejos, sofrimentos e paixões que cercam cada um de nós.

Sobre os olhos atentos do velho monge vemos a experiência da perda da inocência do jovem monge, o despertar para o amor quando uma mulher entra em sua vida, o poder letal do ciúme e da obsessão, o preço do perdão, o esclarecimento das experiências.

Assim como as estações vão continuar mudando até o final dos tempos, na indecisão entre o agora e o eterno, a solidão será sempre uma casa para o espírito.

Momento Fractal no Plural Fortaleza – 2018

Autopoiese, Cultura e Sociedade